Fazedor de layout ou mente criativa? Torne sua equipe mais estratégica!

“Este conceito é mais do mesmo”. A frase ressoa como um sinal de que é preciso fazer diferente e mais: talvez, seja preciso empreender uma mudança voltada para vários aspectos, na tentativa de renovar o ambiente da agência e fortalecer o espírito de equipe. Afinal, é preciso reinventar a rotina e motivar os profissionais. Hoje, até mesmo o dia a dia dinâmico  de uma agência, com demandas e episódios diferentes, que sempre surpreendem e espantam a monotonia, precisa ser transformado. Então, como manter uma mente criativa em um ambiente em constante transformação?

Fungindo do “mais do mesmo”

O desafio é fugir da máxima “eu sempre fiz assim”, do costume de “se inspirar na arte da última edição” ou ainda “naquele trabalho que fizemos para outro cliente”.  Pois, na área de criação, se estas situações ocorrem, provavelmente, você tem um profissional fazedor de layout, com visão limitada. Algumas mudanças na gestão da agência, nas ferramentas e nos processos podem dar uma injeção de ânimo para os criativos da equipe. Para eles, o desafio é se desvencilhar das amarras que os prendem ao que já foi feito e das técnicas já exploradas. Sempre há algo novo para ser descoberto e peças diferentes a serem criadas. Uma mente criativa também precisa de motivações.

mentes criativas

Quando falamos de criatividade, comentamos a respeito da importância de ter referências e é claro que elas são importantes, mas é preciso ir além para surpreender. O “mais do mesmo” decepciona o cliente e satura o público que, muitas vezes, já conhece aquela fórmula. Portanto, o segredo é trabalhar para conquistar o efeito: “Uau!”, ou seja, surpreender o cliente e engajar o público da marca.

 

Gerenciando uma equipe estratégica

Aos gestores da agência, cabe a tarefa de formar uma equipe que conhece o cliente, conversa com ele, entende suas necessidades de antemão e apresenta propostas conceituais. Não basta fazer uma única peça criativa e impactante. É preciso ter talento e criatividade estratégica e produzir uma série de peças que conversam entre si. Em alguns casos, as agências propõem aos clientes vender um conceito em uma campanha e, simplesmente, abandonam na seguinte, esquecendo que o mesmo tema foi abordado sob uma perspectiva contrária. Na falta de uma equipe estratégica, quando a agência tem apenas fazedores de layouts, a chance do cliente lidar com repercussões inesperadas é grande. Quando os profissionais trabalham pautados apenas por insights criativos, desconsiderando um contexto e a história recente, o risco de dar “ um tiro no pé” da própria marca, e não do concorrente, aumenta.

Por essas e outras razões, vale a pena parar e analisar o perfil da sua equipe e os resultados conquistados. Por exemplo, se for o caso, convide-os a participar desta reconstrução e da busca pela criatividade estratégica.

Elencamos abaixo algumas questões que podem ser respondidas pelos profissionais em uma reunião e outras dicas que podem ser seguidas para que esta transformação no dia a dia da agência torne-se possível e a mente criativa comece a funcionar.

Perguntas essenciais para uma mente criativa despertar

Para começar, reúna os profissionais e pergunte quais os benefícios a agência terá, se a equipe atuar com criatividade estratégica.

  • Que tipos de problemas poderão ser eliminados?
  • Que oportunidades poderão ser descobertas?
  • Quais benefícios serão conquistados?
  • Como poderá fortalecer sua atuação no mercado?
  • Quais as direções podem ser tomadas pelo seu negócio?
  • E, por fim, o que a concorrência fará?

Com base nesta reflexão, é possível levar os profissionais a discutir e entender a essência da criatividade e, então,  chamá-los para  fazer as coisas acontecerem de uma forma inovadora. Assim, uma vez respondidas as questões, é hora de  atuar. Despertar, usar ou aumentar a criatividade na agência pode ser muito compensador.

Outras questões fundamentais

1- Pense nos benefícios de contar com pessoas que têm criatividade estratégica:  são empreendedoras; curiosas; persistentes e perseverantes; autônomas e corajosas; bem informadas. Além disso, estão sempre em busca da autorrealização, de forma que, neste caminho, se mostram motivadas e motivam quem está ao redor delas.

2-  Supere os obstáculos que impedem a mente criativa como, por exemplo, velhas ideias, paradigmas, chavões; conformismo; desistência; medo do ridículo e de errar, tudo tem que dar certo; excesso de lógica; e resistência à quebra de modelos mentais.

3 – Peça para a equipe evitar “frases assassinas” como estas listadas abaixo:

  • Isso não tem lógica.
  • Isso não é prático, e não funciona.
  • Isso é óbvio.
  • Isso não é da minha área.
  • Vão me chamar de louco.
  • O chefe não vai aceitar.
  • Não está nas normas.
  • Não dá certo.
  • Vá direto ao finalmente.
  • É proibido errar.
  • Temos que acertar logo na primeira jogada.

4 – Lembre-se que alguns ventos favoráveis despertam a criatividade:

  • Motivar as pessoas a ver a realidade sob novos ângulos mantém a mente criativa;
  • Usar imagens visuais, auditivas;
  • Gerar ideias fluidas, livre de julgamentos;
  • Observar coisas que passam despercebidas pelos demais;
  • Brincar com as ideias, criando multiplicidade;
  • Usar os erros cometidos para aprendizagem;
  • Quebrar os padrões e a rotina, e desafiar as normas;
  • Manter o humor e, principalmente, a receptividade às novas ideias, tanto as suas como as dos demais.

E, então, vamos começar esse movimento pela criatividade estratégica hoje mesmo? Convoque sua equipe e, depois, conte-nos os resultados 😉