CEO da A2C analisa os resultados do Censo Agências 2018

Analisando essa quarta edição da Pesquisa Censo Agências, que se tornou referência na construção de indicadores no mercado de marketing e publicidade, fica cada vez mais evidente – e imperativo! – que gerir as agências como uma empresa é condição fundamental para manter-se nesse ambiente de negócios em Transformação. Ou seja, pessoas, processos e tecnologia, o tripé da gestão eficiente de qualquer empresa também parece ser o “xis” da questão para as agências.

Necessidade é de ter agilidade e inovar

Além disso, também, é preciso imprimir velocidade nessa gestão, com metodologias ágeis e inovadoras. Pensou em startups? Pensou certo. Das pequenas agências aos grandes grupos. A necessidade de agilidade, dados e decisões assertivas têm trazido alterações substanciais no posicionamento dessas empresas no mercado. E, até na sua própria sobrevivência.

Tecnologia que apoia a gestão

É perceptível no resultado do Censo Agências 2018 que os empresários do setor têm demonstrado maior interesse na busca de soluções tecnológicas. Soluções estas que possam contribuir com o gerenciamento de atividades operacionais e administrativas de forma ágil. Certamente, neste cenário de mudanças, a adoção de plataformas tecnológicas que dão suporte à gestão realmente contribuem muito para a saúde operacional e financeira dessas organizações.

No entanto, sem processos e sem pessoas a tecnologia por si só não é nada. Vimos isso expresso pelas grandes agências que relataram que a maior dificuldade está relacionada à produtividade das equipes e à definição e organização de processos.

tripe-da-gestão-nas-agências-pessoas-processos-e-tecnologia

Além disso, outros dois pontos que também têm à ver com gestão e posicionamento são relativos à uma atuação mais estratégica junto aos clientes e à medição de resultados. O famoso ROI (Retorno sobre o Investimento).

banner-planilha- roi-software-de-gestão

 

Digital se fortalecendo nas agências pequenas

O levantamento da Operand indica que as agências menores estão surfando a onda digital. Com bons retornos nos serviços relacionados a web (SEO, Adwords, mídias sociais).

Agências maiores focando no planejamento

Já para as agências maiores, serviços relacionados ao planejamento que contribuem com um peso significativo para ampliar as suas receitas. Ou seja, isso reflete um movimento das empresas do setor de terem um papel mais consultivo e estratégico. E, desse modo, conseguir apresentar resultados mais consistentes frente aos investimentos dos seus clientes.

Conclusão

Ao passo que a Transformação Digital e toda a mudança que o aporte de tecnologia trazem para facilitar essa gestão, a mesma velocidade imposta pelas inovações disruptivas tem trazido ainda mais desafios para os empreendedores do setor. Que, aliás, terão que evoluir e se reinventar para operar de uma nova maneira, em outra velocidade. Contudo, a boa notícia é que essas mudanças trazem consigo novos negócios e novas oportunidades.

 apresentação-de-Anderson-Andrade-CEO-da-A2C