Gestão de Agências: em tempos de crise, faça e crie mais!

A estimativa de inflação dos analistas dos bancos para este ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, passou de 8,31% para 8,37%. Se confirmada, a inflação de 2015 atingirá o maior patamar desde 2003, quando ficou em 9,3%.* Já sei! Você deve estar pensando que este papo está muito financeiro para um blog que fala sobre comunicação. E o assunto é, realmente, sério. Aposto que você já se perguntou: “Como será o ano com essa crise?” ou “Será que os clientes irão manter os contratos?”. Ah! Você pode ter pensado ainda naquela velha máxima: “em tempos de crise, logo, as empresas cortam os recursos voltados para a comunicação”. “Como fazer a gestão de agências na crise?” 

Postura da Agência X Cenário Econômico

Faz sentido e a tendência é essa, mas não será, necessariamente, assim. Muitas vezes, a resposta do cliente, ou seja, a continuidade dos trabalhos depende muito mais da postura da agência do que do cenário econômico.

estratégiaÉ isso mesmo!  Se os seus profissionais e a sua agência já se tornaram parceiros do cliente, você ganhou muitos pontos e na certa. Ainda que diante da crise, vencerá essa corrida pela retenção dos clientes.

Podemos dizer que essa disputa acirrada pela retenção do cliente começa lá na prospecção quando, além de assinar o contrato e dar o start para os jobs, os profissionais do atendimento e os criativos empreendem um movimento didático, que mostra ao cliente o modo de fazer publicidade.

Gerando valor nas ações de comunicação

Mais do que isso, com o contato e a parceria, os profissionais da agência têm a chance de mostrar ao cliente o valor das ações de comunicação e o impacto que estas provocam. Somos nós, profissionais da comunicação, que podemos reiterar para o cliente o potencial receptivo do consumidor que sempre recebe estímulos: se uma marca recua em momentos difíceis, a atenção do público se volta para a outra que colocou sua marca em evidência sem medo (ou com um pouco), mas apostando, acima de tudo, no sucesso da ação.

A postura da agência é fundamental

Mas, afinal, precisamos ter receio das consequências da crise? Todos nós, em alguma medida, temos. Ainda assim, não podemos nos deixar contagiar por esse sentimento de que tudo tende a piorar. Pelo contrário, os clientes esperam da agência e dos seus profissionais uma postura assertiva. E que transmita a sensação de que dias melhores estão por vir.  É nisso que todos nós precisamos acreditar! A gestão de agências na crise é um desafio, mas não uma tarefa impossível.

Ao compartilhar desta positividade, os clientes se sentem mais seguros e passam, inclusive, a visualizar que, principalmente em tempo de crise, quando a marca deles não se sobressai, esta abre espaço para outras se destacarem. É na crise que a disputa pela atenção do consumidor é mais acirrada. E é justamente por isso que os investimentos em comunicação não podem parar. Mais do que nunca, vale a velha máxima: “quem não é visto, não é lembrado”. Então, bora fazer uma semana produtiva? Comece lembrando os clientes que a comunicação está aí pra ajudar e deixar que os efeitos da crise sejam poucos ou quase nulos.

*Segundo notícia publicada no site G1 em 25 de maio. Disponível em: http://goo.gl/VMIWV9