Infoprodutos: como trabalhar com esta estratégia?

O investimento na criação e distribuição de infoprodutos se tornou uma estratégia promissora para os produtores de conteúdos digitais, especialmente nos últimos anos. Segundo dados da Connect Soluções Digitais, o setor registrou um crescimento de 103% no Brasil, e a expectativa é que isso aumente ainda mais.

A busca por conteúdos digitais foi impulsionada pela pandemia, já que naquele contexto as pessoas buscavam formas de manter a saúde mental. Hoje, a variedade de opções em infoprodutos é imensa. De tal modo, o usuário tem a oportunidade de aprofundar o conhecimento e aprendizado, explorar novos mercados e até mesmo descobrir novas profissões.

Portanto, o fato é que o mercado de infoprodutos veio para ficar. Para as agências, investir no segmento é uma excelente oportunidade para aumentar a receita e a geração de leads

Entenda melhor, neste artigo, como isso é possível!

O que é um infoproduto?

Em síntese, infoproduto é qualquer tipo de conteúdo em formato digital voltado para a transmissão de aprendizado. Na prática, este material é criado e distribuído pela internet por meio de diferentes canais, como sites, landing pages, e-mail, blogs, entre outros.

Na prática, profissionais de vários segmentos – desde marketing digital até investimentos, saúde e gastronomia – podem desenvolver conteúdos estratégicos convertendo-os em infoprodutos. 

O ‘boom’ dos infoprodutos, em partes, se deve ao fato dos profissionais desses setores buscarem constantemente o aprimoramento de conhecimentos, técnicas e habilidades. Diante deste cenário, os infoprodutores têm um mundo de oportunidades, e podem compartilhar seus conhecimentos por meio de diferentes formatos, como: e-books, cursos, mentorias e muito mais. 

Infoprodutos: quais os prós e os contras?

Para entender melhor como essa estratégia se comporta, é fundamental conhecer seus prós, abaixo listamos os principais.

  • Alto retorno financeiro: dependendo do formato e da profundidade dos conteúdos, os infoprodutos podem ser comercializados por um valor mais alto, gerando lucro aos criadores.
  • Baixo custo de produção: a produção dos conteúdos é barata e envolve poucos recursos, além do conhecimento dos criadores. 
  • Maior alcance: podem alcançar um alto número de pessoas de diferentes localidades.
  • Flexibilidade: como são vendidos online, os infoprodutos podem ser produzidos de qualquer lugar.
  • Potencial de gerar receita recorrente: alguns infoprodutos permitem o uso de assinaturas mensais ou a oferta de clubes exclusivos, o que gera uma fonte de renda contínua, garantindo previsibilidade financeira por um tempo.

No entanto, apesar dos excelentes prós, esta estratégia também possui alguns contras que precisam ser considerados na hora de investir no desenvolvimento de infoprodutos, como:

  • Forte concorrência: o mercado de infoprodutos cresceu nos últimos anos, com isso, a diferenciação dos conteúdos se torna difícil. Desse modo, se destacar é difícil.
  • Requisitos técnicos: para produzir conteúdos relevantes e de qualidade, é fundamental que o criador tenha conhecimento técnico na área.
  • Tempo de dedicação: desenvolver e comercializar infoprodutos envolve dedicação e exige tempo tanto na criação quanto na divulgação. Logo, se o infoprodutor possui uma agenda corrida, a conciliação desta atividade com as outras se torna um desafio.

Então, será que vale a pena investir no desenvolvimento de infoprodutos?

Analisando os prós e os contras, podemos perceber que, apesar dos desafios da criação e comercialização dos infoprodutos, as vantagens se sobressaem. No entanto, quem deseja se aventurar nesse meio precisa estar preparado para lidar com a concorrência, e separar um tempo para se dedicar com afinco à tarefa.

Além disso, produzir e entregar conteúdos de qualidade, direcionados à resolução de um problema, ajuda a chamar atenção do cliente, e também contribui para construir a sua reputação como especialista na área.

Contudo, para que isso aconteça é imprescindível elaborar e entregar materiais de qualidade, voltados a atender as necessidades específicas do seu público-alvo. E, é aqui que entram os infoprodutos. Com a transformação digital, eles têm ganhado mais espaço, pois são relativamente mais baratos e fáceis de produzir.

Outra vantagem é que os infoprodutos funcionam como lead magnets – técnica utilizada para coletar detalhes de contatos. Na prática, essa ferramenta auxilia na geração de leads, uma vez que o usuário troca informações para ter acesso a amostras gratuitas ou acesso a ferramentas digitais.

Confira alguns exemplos de infoprodutos

Agora que você já conhece os prós e contras que envolvem a criação e distribuição de infoprodutos, confira os principais formatos utilizados.

#1 E-books

Os livros eletrônicos são simples, fáceis de desenvolver e baratos, por isso são a opção mais viável para quem está iniciando neste mundo de infoprodutos. Entretanto, criar um e-book requer alguns cuidados, uma vez que o público deve ficar atraído tanto pelo conteúdo quanto pela diagramação e capricho com o material.

Portanto, é fundamental se atentar para sua estrutura, considerando os principais elementos:

  • Capa;
  • Diagramação;
  • Texto;
  • Imagens.
Exemplo de um dos formatos de infoprodutos, os ebooks, ou livros digitais.

#2 Screencast e Videocast

O screencast permite que o criador desenvolva conteúdos a partir de vídeos capturados da tela do computador, somado ao áudio de fundo com a explicação do infoprodutor. Já os videocasts são a combinação de cortes dos screencasts com filmagens do criador explicando o conteúdo.

Os exemplos mais comuns de infoprodutos deste tipo são tutoriais, que ensinam sobre o uso de software ou ferramentas digitais.

Exemplo de um dos formatos de infoprodutos, os screencasts ou videocasts.

#3 Área de membros

O membership – como é popularmente conhecido – é uma área, site ou programa voltado apenas para membros exclusivos. 

Ou seja, o acesso a este tipo de infoproduto é restrito apenas para usuários autorizados, que pagam uma taxa de adesão para ter acesso. Na prática, a adesão possibilita o acesso durante alguns meses a conteúdos do site e/ou plataforma. 

Na prática, essa modalidade de infoproduto permite que o desenvolvedor utilize diferentes formatos de conteúdos, como: textos, vídeos e áudios, entre outros.

#4 Webinar

O webinar é uma espécie de palestra ou reunião virtual, que pode acontecer ao vivo ou ser gravada. Este é um infoproduto que deve ser bem pensado, uma vez que exige que o criador possua uma audiência cativa, que pode ser conquistada por meio da distribuição de e-books ou até mesmo pelas redes sociais.

Além disso, o webinar pode servir também como uma ‘isca digital’. Assim, o criador oferece uma amostra grátis para lançar um produto, como um curso online.

Exemplo de um dos formatos de infoprodutos, os webinars, também chamados de vídeo aulas, palestras ou aulas online.

#5 Cursos online

Para aqueles que possuem um vasto conhecimento em algum segmento específico, voltar seus esforços para elaboração de um curso online é uma ótima opção. Além disso, eles podem ser inteiramente gravados e distribuídos ou, então, ministrados ao vivo.

Por meio deste infoproduto, é possível ensinar seu público com maior precisão, aumentar a sua autoridade e comercializar um produto com ticket médio ou alto.

Contudo, a criação e desenvolvimento dos cursos online envolvem uma série de atividades, como:

  • Planejamento das aulas;
  • Criação de um roteiro para a gravação das aulas;
  • Produção de conteúdo, materiais de apoio e as aulas;
  • Desenvolvimento de uma estratégia de venda e retenção de alunos;
  • Escolha de uma boa plataforma de hospedagem;
  • Elaboração do certificado para os concluintes do curso.

Vale ressaltar que é preciso associar o segmento que você domina com os cursos mais buscados na internet, isso garante maior êxito nas suas vendas.

#6 Mentorias

Outra oportunidade para os especialistas em determinados assuntos é a criação de mentorias, que podem ser realizadas em grupos ou individualmente. 

De modo geral, este tipo de infoproduto costuma ser mais personalizado do que os cursos online, pois o mentor foca em ajudar o cliente na solução de problemas mais específicos e direcionados, dando uma atenção maior ao mentorado.

Para otimizar o tempo e aproveitá-lo melhor, é possível ofertar alguns encontros presenciais, que podem ser complementados com aulas gravadas e materiais de apoio. Nesse caso, o criador pode contar com o apoio de ferramentas que auxiliem na comunicação com o cliente, como: WhatsApp, Facebook ou Telegram.

Infoprodutos: afinal, por onde começar?

O desenvolvimento de infoprodutos é uma atividade que pode ser lucrativa, mas para que isso aconteça é fundamental planejar todas as etapas, a fim de atrair a audiência e garantir uma boa taxa de conversão.

Abaixo, listamos um pequeno passo a passo. Confira!

#1 Conheça seu público

Antes de mais nada é essencial conhecer seu público-alvo. Assim, você pode compreender quais conteúdos serão interessantes para atrair a audiência.

Desse modo, é importante responder às seguintes perguntas:

  • Qual o nicho e subnicho do seu infoproduto?
  • Qual público você pretende alcançar?
  • Quais as dificuldades, desejos e necessidades do seu público-alvo?

Ao listar essas informações é possível elaborar uma estratégia para compreender quem é a sua persona e o conteúdo a ser abordado. 

Lembre-se: ao elaborar seu infoproduto, pense onde o seu cliente está agora – com o problema que tem hoje –, e aonde ele pretende chegar, já com o problema solucionado. Ou seja, o seu trabalho é construir uma ponte que irá ajudá-lo a resolver a dor dele.

#2 Defina o formato

Tema e público-alvo definidos? Então, agora é o momento de escolher o nome e o melhor formato. Para isso, é importante considerar sua persona mais uma vez. Priorize os meios mais utilizados por eles. Por exemplo, muitas pessoas preferem criar a própria rotina de estudos. Logo, elas irão optar por cursos online gravados ao invés de aulas ao vivo. 

Portanto, entenda os hábitos de consumo e as preferências antes de definir o formato. Esses detalhes irão nortear o desenvolvimento das suas produções. 

Feito isso, é hora definir onde o infoproduto será hospedado. Você pode disponibilizar em seu site ou em plataforma específica voltada a oferta deste tipo de serviço, como a Hotmart. Dessa maneira, você concentra seus esforços na divulgação e deixa a parte mais ‘chata’ de lidar com a logística de pagamento, entrega e suporte para a prestadora de serviço.

#3 Realize uma pesquisa de mercado

Após definir o tema e formato, busque conhecer o que a concorrência está produzindo. Isso evita a criação de conteúdos muitos repetitivos, e permite que você construa um material inovador.

A partir dessas pesquisas, é possível criar conteúdos inovadores, que se diferenciam da concorrência, garantindo que seu material se destaque e sua oferta seja mais atraente ao público.

#4 Crie conteúdos de qualidade

O sucesso do seu infoproduto depende diretamente do valor que você oferece ao seu público-alvo. Portanto, não economize nas pesquisas que ajudarão a compor os materiais de apoio e invista em boas edições – seja em vídeo ou no material gráfico.

Caso opte pelo uso de e-books e textos, atente-se à gramática. Lembre-se que erros grotescos são prejudiciais à leitura e podem prejudicar a sua imagem como autoridade no assunto. Além disso, se decidir utilizar algum software ou ferramenta de edição, domine os recursos, a fim de evitar erros técnicos.

#5 Crie uma oferta irresistível

Por fim, mas não menos importante, é fundamental demonstrar ao cliente que só você tem a solução ideal para ajudá-lo. 

Para isso, você pode utilizar estratégias como:

  • Usar storytelling para contar histórias que gerem envolvimento;
  • Criar uma boa proposta de valor, como um e-book de brinde para quem se inscrever no curso, por exemplo;
  • Utilizar boas CTAs (Call-To-Action);
  • Promover a entrega de conteúdos gratuitos (iscas digitais).

Essas são apenas algumas estratégias que podem ser adotadas para fisgar a atenção da audiência, e garantir que a sua oferta é melhor que a concorrência.

Além dos infoprodutos, o ramo publicitário tem uma gama de oportunidades. No entanto, para alcançar a audiência de modo expressivo é importante conhecer os mercados de nicho dentro da publicidade. Confira um artigo que fala mais sobre o tema: Nichos de agência de publicidade: saiba por que é importante focar!